Curso Acólitos

1 – A nossa paróquia
2 – O que é uma igreja
3 – O interior de uma igreja
4 – O que é um acólito
5 – O altar
6 – A cadeira presidencial e o ambão
7 – Ser acólito
8 – Gestos e atitudes na liturgia
9 – O acólito na primeira parte da Missa
10 – O acólito na segunda parte da Missa

Actividades

 

 


 

 

 

 

 

1 - A NOSSA PARÓQUIA

 

1. A nossa paróquia

Vamos começar hoje um pequeno curso. Ele destina-se a preparar acólitos para a nossa paróquia. Porquê? Porque a paróquia precisa deles.

O que é uma paróquia? É um grupo de cristãos, pertencentes a uma Diocese, e com um pároco, que é o seu pastor próprio. Além das pessoas, uma paróquia tem sempre um território, maior ou mais pequeno, e uma igreja principal, chamada igreja paroquial Pode ter outras igrejas e capelas. Mas uma só é paroquial. É nessa igreja que, habitualmente, se fazem os baptismos. Por isso, uma igreja paroquial tem sempre pia baptismal. A paróquia também pode ter um Centro paroquial e outros serviços.

Cada pároco é nomeado pelo bispo da Diocese, e pode estar numa paróquia mais ou menos tempo. Só os padres podem ser párocos, mas numa paróquia pode haver um diácono que trabalha com o pároco. Os párocos são conhecidos por vários nomes, conforme as terras: senhor padre, senhor prior, senhor reitor, senhor abade...

Os cristãos de uma paróquia têm muitas coisas em comum: laços familiares, amizade, vizinhança, conhecimento mútuo. Mas sobretudo têm a mesma fé em Jesus. Uma paróquia é, pois, uma família alargada, que tem a mesma fé como elemento de ligação. É na paróquia que as crianças e adultos são baptizados; ali frequentam a catequese, fazem a primeira comunhão, recebem a confirmação, casam, e em cada domingo vão à missa à igreja paroquial ou outra.

 

2. O domingo na paróquia

Para os cristãos de todas as paróquias do mundo, o domingo é o dia mais importante da semana. É chamado dia do Senhor, porque foi num domingo que Jesus ressuscitou. Como é no domingo que as famílias cristãs de cada paróquia se reúnem na igreja, chama-se-lhe dia dos cristãos. No domingo não se trabalha nem há escola.

Para que se reúnem os cristãos todos os domingos na igreja da sua paróquia? Para tomarem parte na missa, pois há um mandamento da Igreja que diz assim: «No domingo e nos outros dias festivos de preceito, os fiéis devem participar na missa». Não se deve faltar à missa por qualquer motivo, e muito menos por não nos apetecer ir. Quem assim faz mostra que ainda não entendeu o que é o domingo e a importância que a reunião desse dia tem para a fé de cada um e de todos em conjunto. Quem preside quase sempre à missa paroquial em cada domingo é o pároco. Há sempre uma hora marcada para a missa. O sino lembra às pessoas essa hora, tocando uma, duas ou três vezes antes. A missa tem vários nomes: eucaristia, ceia do Senhor, fracção do pão, assembleia eucarística, etc.

O que acontece durante a missa? Ouve-se a palavra de Deus, canta-se, dizem-se orações, leva-se pão e vinho ao altar, faz-se o que Jesus fez na última Ceia, dá-se a comungar o pão consagrado que é o Corpo de Cristo. Por fim, as pessoas regressam a suas casas e procuram viver cada vez mais de acordo com o que Deus lhes disse na sua Palavra e o Espírito Santo lhes segredou no coração.

 

3. A assembleia cristã do domingo

Os cristãos reunidos na igreja de cada terra, no domingo, formam uma assembleia. Jesus fez esta promessa aos seus discípulos: Quando dois ou três estiverem reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles (Mt 18, 20).Esta presença de Jesus faz com que a reunião dos cristãos e a sua assembleia sejam muito diferentes de outras reuniões e de outras assembleias. Esta faz-se para celebrar a liturgia, ou seja para escutar Deus que fala, para lhe dirigir cânticos e orações, e para comungar o Corpo de Jesus.

Donde vêm as pessoas que se reúnem? Vêm de suas casas. E quem é que vem? Vêm homens e mulheres, rapazes, raparigas e crianças. E porque vêm as pessoas àquela reunião? Porque não podem passar sem celebrar todos os domingos a Ceia do Senhor. Domingo em que não se reúnem é como se fosse um dia sem sol.

Quem as mandou celebrar essa Ceia? Foi Jesus, quando disse aos seus Apóstolos: Fazei isto em memória de Mim. Nós hoje chamamos missa ou eucaristia a essa Ceia que celebramos quando nos reunimos, todos os domingos.

 

4. Os ministros da assembleia litúrgica

Para que uma assembleia litúrgica possa celebrar a missa, precisa de ministros. Quem são eles? São os encarregados de fazer algum serviço na assembleia. Na assembleia litúrgica cristã, os que fazem as leituras, os que recolhem as ofertas, os que servem ao altar, todos são ministros litúrgicos.

Os diversos ministros litúrgicos servem ao mesmo tempo a Deus e às pessoas reunidas. Para que a celebração da missa decorra bem, são precisos pelo menos quatro ministros. Quais são eles? São o presidente, o leitor, o cantor e o acólito. O presidente só pode ser um bispo ou um presbítero (=padre), porque só eles podem fazer o que Jesus mandou aos seus Apóstolos, ou seja, mudar o pão e o vinho no corpo e sangue de Cristo. O leitor é preciso para fazer as leituras. O cantor é preciso para cantar o salmo responsorial e para dirigir o canto da assembleia. E o acólito, para que é ele preciso? O acólito é preciso para muitas coisas. Mas antes de dizermos quais são essas coisas, temos de ver, numa das próximas lições, quem é o acólito e quem pode ser acólito.

Contactos | Liturgia | acolitos@liturgia.pt