Vocabulário dos acólitos

Para que os acólitos conheçam melhor as realidades da liturgia, apresentamos a seguir uma lista daquelas com que eles têm mais contacto na celebração ou fora dela.

Para ser mais fácil consultar esta lista, as palavras vão por ordem alfabética.


Actividades

 

 


 

 

 

 

 

Vocabulário dos acólitos

 

Acólito é o ministro litúrgico que serve o presidente e o altar.

Altar é o lugar do sacrifício de Cristo e a mesa onde se celebra a Eucaristia.

Alva é a veste branca que cobre todo o corpo e é comum a todos os ministros da celebração litúrgica.

Ambão é o lugar donde se proclama a Palavra de Deus, nas leituras e no salmo responsorial.

 Amito é um rectângulo de pano branco que se pode colocar por debaixo da alva em volta do pescoço, para cobrir perfeitamente a gola da camisa.

Assembleia é a primeira realidade visível da liturgia cristã, isto é, são as pessoas reunidas para a celebração.

Assentos para os ministros, são os lugares onde se sentam os acólitos e os outros ministros.

Átrio é o primeiro espaço à entrada das igrejas.

Bacia é um dos três objectos das lavandas.

Báculo é uma espécie de bastão que o bispo, quando caminha ou quando fala, segura na mão.

Bancos são os lugares onde sentam os fiéis.

Baptistério é o lugar onde está a fonte baptismal para a celebração do baptismo.

Basílica é o nome dado às grandes igrejas cristãs.

Bispo é o sucessor dos Apóstolos e o primeiro sacerdote numa diocese; sempre que está presente, é ele que preside às acções litúrgicas.

Cadeira presidencial é aquela donde o bispo e o presbítero presidem à celebração, quando não estão no altar, e na qual se sentam.

Cadeiras são os lugares onde se sentam os fiéis.

Caldeirinha de água benta é apresentada ao bispo ou ao presbítero por um acólito.

Cálice é a taça ou o copo onde se põe o vinho e um pouco de água, e se faz a consagração.

Capa de asperges é uma capa usada nalgumas celebrações.

Capela baptismal é o mesmo que baptistério.

Casula é a veste ampla, branca ou de outra cor, aberta dos lados e sem mangas. Usam-na o bispo e o presbítero na Missa.

Cátedra é a cadeira onde, na sua igreja, se senta o bispo.

Catedral é a igreja principal duma diocese, a igreja do bispo.

Ceroferários são os acólitos que levam as velas nas procissões.

Cíngulo é o cordão branco com que se aperta a alva quando ela não se ajusta completamente ao corpo.

Círio pascal é o círio grande, que se acende na Vigília pascal, e que simboliza a luz de Cristo ressuscitado.

Colherinha da água é uma colher pequenina com que se tira uma gota de água da galheta e se lança no cálice, onde se mistura com o vinho.

Colherinha do incenso é uma colher pequena para tirar o incenso da naveta e o pôr no turíbulo. Vai dentro da naveta, juntamente com o incenso.

Confessionário é o lugar onde se celebra o sacramento da penitência ou da reconciliação.

Corporal é o quadrado de linho que o acólito leva da credência para o altar, e que o presidente estende sobre a toalha da mesa do Senhor.

Credência é uma pequena mesa que se coloca num lugar discreto do presbitério e sobre a qual, antes da Missa, se põe tudo o que vai ser preciso nalgum momento da celebração.

Custódia é um objecto de metal, redondo, onde se coloca a hóstia grande consagrada, para que os fiéis adorem o Corpo de Cristo. A custódia usa-se na exposição solene do Santíssimo Sacramento e nas procissões eucarísticas.

Dalmática é uma veste solene, com meias mangas, que o diácono pode usar.

Diácono é um colaborador do bispo, e o primeiro de todos os que servem na liturgia.

Estola é uma peça comprida e estreita de pano, da cor litúrgica do dia, que se põe sobre a alva. O bispo e o presbítero deixam-na cair sobre o peito, ao passo que o diácono a usa em diagonal sobre o peito.

Galhetas são os dois pequenos recipientes com o vinho e a água que os acólitos levam ao altar no momento da preparação dos dons.

Hissope é o objecto de metal com o qual se asperge a água benta sobre as pessoas, os lugares e as coisas. Está habitualmente dentro da caldeirinha de água benta.

Hóstia é o nome do pão da Eucaristia, quer antes quer depois de consagrado.

Hóstia grande é aquela que o sacerdote segura nas mãos à consagração e depois mostra aos fiéis. É redonda, feita de farinha de trigo amassada com água, sem fermento nem sal.

Incenso é uma resina granulosa que, quando se queima, exala um cheiro aromático.

Hóstias pequenas são aquelas que, depois de consagradas, se dão em comunhão aos fiéis. São redondas, feitas de farinha de trigo amassada com água, sem fermento nem sal.

Jarra com água é um dos três objectos das lavandas.

Lavandas são as coisas necessárias para que o sacerdote possa lavar as mãos antes de dar início à Oração eucarística: a bacia, a jarra com água e a toalha. São-lhe apresentadas pelos acólitos.

Leccionário é o livro que contém as leituras bíblicas que se lêem na Missa e nas outras celebrações. São oito volumes diferentes.

Missal é o livro grande que contém as orações próprias da Missa e que diz como se organiza e realiza a celebração.

Mitra é a insígnia com que os bispos cobrem a cabeça em certos momentos das celebrações litúrgicas.

Naveta é o recipiente onde vai o incenso.

Pala é um pequeno rectângulo de pano de linho com que se pode cobrir o cálice.

Partículas  é outro nome que se dá às hóstias pequenas.

Patena é um recipiente em forma de prato pequeno, onde se põe o pão que vai ser consagrado.

Píxide é o recipiente em forma de copo no qual se põem as partículas, e no qual se guardam no sacrário.

Pluvial é o mesmo que capa de asperges.

Presbitério significa o conjunto dos presbíteros de uma diocese, e o lugar da igreja onde estão o altar, o ambão e a cadeira presidencial.

Presbítero é o colaborador mais directo do bispo, e aquele que mais habitualmente preside às celebrações litúrgicas. Também se lhe chama padre ou sacerdote.

Ramo de oliveira é um pequeno ramo que se pode usar, em vez do hissope, para aspergir a água benta.

Rituais são os livros que contêm as celebrações de alguns sacramentos (baptismo, culto eucarístico fora da Missa, penitência, unção dos doentes, matrimónio), e dos sacramentais (bênçãos, exéquias, profissão religiosa, etc.).

Sacrário ou tabernáculo é o lugar onde se guarda o pão consagrado depois da celebração da Eucaristia, e diante do qual os fiéis podem orar em silêncio, quando entram na igreja ou antes de sair dela.

Sacristia é a sala da igreja onde se guarda tudo o que é preciso para a liturgia e onde os ministros tomam as vestes litúrgicas antes de começar a celebração.

Sanguinho é um pedaço pequeno de pano branco que serve para limpar e enxugar o cálice e a patena depois da Comunhão.

Sinos são os objectos metálicos que estão na torre da igreja e cujo som convoca os fiéis para as celebrações; também servem para o relógio bater as horas.

Toalha banca é aquela com que a mesa do altar está coberta.

Toalha de mão é um dos três objectos das lavandas.

Túnica é a veste branca do acólito, mais ajustada ao corpo do que a alva.

Turíbulo é o queimador do incenso.

Turiferário é o acólito que leva o turíbulo e a naveta nas mãos durante as procissões.

Vasos dos santos óleos são os recipientes em que se guardam os santos óleos do Crisma, dos catecúmenos e dos enfermos.

Velas são feitas de cera de abelha, acendem-se no altar para o iluminar e levam-se acesas nas procissões.

Véu do cálice é um rectângulo de seda com que se deve cobrir o cálice quando está na credência. Pode ser de várias cores. Mas pode usar-se sempre a cor branca.

 

Contactos | Liturgia | acolitos@liturgia.pt