Destaques

 


Peregrinação
Hino do Acólito
Logotipos do SNA
Peregrinação a Roma
Patrono dos Acólitos Portugueses

Oração

Consagração a Nossa Senhora

Terço PNA 2013
Terço PNA 2012
Terço PNA 2011
Terço PNA 2010
Terço PNA 2009
Terço PNA 2008
Terço PNA 2007

 

 

E-mail

acolitos@liturgia.pt

Terço - Mistérios Luminosos

Peregrinação Nacional de Acólitos
1 de Maio de 2008 (quinta-feira)

Mistérios Luminosos

1ª Mistério:
O Baptismo de Jesus no Jordão

Jesus ao Ser baptizado por João mostra-se como O Filho de Deus e transforma um baptismo de penitência num baptismo de filiação divina.
Como Maria, que soube dizer sim aos mistérios anunciados pelo anjo, também os acólitos das nossas dioceses saibam viver na verdade o baptismo que receberam, para que as suas túnicas brancas resplandeçam como modelo de Santidade.

 

2º Mistério:
O primeiro milagre de Jesus nas bodas de Caná

Em Caná da Galileia, Jesus inaugura a Sua Hora, mostrando que é fonte de Salvação e de Vida Nova.
Como Maria, que esteve atenta às necessidades das bodas em Caná, também os acólitos do nosso país estejam atentos às necessidades dos irmãos e sirvam o Senhor na caridade e na verdade, para que sejam no mundo água transformada em Vinho Novo e fermento de Vida Nova.

 

3º Mistério:
O Anuncio do Reino de Deus

Na Sua vida pública, Jesus anuncia que o “Reino de Deus está próximo e já chegou”.
Como Maria, que aceitou ser participante da acção salvífica de Deus, também os acólitos escutem a voz de Deus que os chama a serem herdeiros do Reino, abram os seus corações à vocação sacerdotal ou de especial consagração e sejam com Cristo anunciadores do Reino e instrumentos de Salvação.

 

4ª Mistério:
A Transfiguração de Jesus

Na transfiguração Jesus revela-se como a Palavra Encarnada. Revela-se como a realização da Lei e das Profecias do Antigo Testamento.
Como Maria, que na sua vida acolheu o Verbo feito carne, também os acólitos escutem a Palavra de Deus e encontrem, na Sagrada Escritura, o alimento para o seu serviço e para as suas vidas.

 

5º Mistério:
A Instituição da Eucaristia

Na última ceia, Jesus, depois de partir o Pão e entregar o Seu Cálice, disse: “Fazei isto em memória de Mim”.
Como Maria, que serviu o seu Filho e que na manhã de Páscoa O reconheceu como Pão da Vida e Vinho da Salvação, também os acólitos e todos os que servem o Altar da Eucaristia, não só o façam com diligência e entrega, mas sejam sempre fiéis aos Mistérios que aí celebram e descubram a Eucaristia como encontro único e verdadeiro com O Ressuscitado.

 

Oração dos Fiéis:

Intenção dos Acólitos

Para que os membros dos grupos de Acólitos
amem sinceramente a Eucaristia
e aprofundem a sua fé em Jesus Cristo,
oremos ao Senhor.



Contactos | Liturgia | acolitos@liturgia.pt